Este blog surge da necessidade de participar e assistir a eventos de sobre desporto, ultrapassando as dificuldades actuais e gerais em termos económicos, continuando da forma mais barata possível a ver e sentir o desporto local, regional, nacional e internacional.

 

CULTURA | SEMPRE | TODO O ANO

 

Follow

 

Domingo, 9 de Outubro de 2016

14 desportos grátis para fazer na Grande Lisboa

Não se queixe mais.

Não ter dinheiro deixou de ser desculpa para não sair de casa.

 

1. Dance um tango queer

“Se sabes andar, podes dançar tango”, diz a página de Facebook do grupo Tango4Fun e isso esgota muitas desculpas para não se juntar ao baile. As aulas de tango argentino acontecem todas as terças no CastroBeer, em Santos, e estão abertas a todas as orientações e ambos os sexos. Homens com homens, mulheres com mulheres, não há regras para os pares e aqui vai aprender a “conduzir e ser conduzido”. O tango começa às 21.00 com um recapitular da aula passada e a música prolonga-se depois das 23.00, para ficar a dançar com quem quiser.

Tango4Fun, Rua de São Paulo, 121. Às terças, a partir das 21.00.

 

2. Jogue com desconhecidos numa pastelaria

Tentações. O nome podia ser o de um bar de strip, mas na verdade estamos numa pastelaria em Picoas habituada a servir almoços a executivos. Às quartas, a maior agitação acontece sempre depois do trabalho, a partir das 18.00, quando as mesas se enchem de jogos de tabuleiro para os encontros semanais e gratuitos dos Boardgamers de Lisboa. E não estamos a falar de meia dúzia de gatos pingados. Aqui costumam juntar-se mais de 50 fãs de jogos de tabuleiro para jogar com conhecidos e desconhecidos. “Não precisa de saber regras para participar”, encoraja Tiago Duarte, um dos membros do grupo que se formou em 2006 e chegou a encontrar-se no Alvaláxia até ser expulso pela segurança. Aqui não se joga a dinheiro, fique desde já a saber, e é provável que desconheça as regras de quase todos os jogos à disposição. Alguém há-de explicar, não se preocupe, mas evite os mais complicados. Na terceira sexta-feira de cada mês, a coisa torna-se ainda mais geek e os encontros (também gratuitos) acontecem no Pavilhão de Civil do Técnico, das 18.00 à 01.00, e no sábado seguinte das 15.00 à 01.00.

Rua Andrade Corvo, 17. www.grupoblisboa.com

 

3. Passeie com os Wild Walkers

Os Wild Walkers são uma empresa de actividades turísticas low-cost da cidade – tão low-cost que algumas até são mesmo grátis, como os passeios a pé, “muito procurados pelos backpackers de viagem pela Europa”. Mesmo que não seja um backpacker, pode pôr uma mochila às costas e juntar-se aos passeios que lhe apresentam a cidade mais alternativa, com comida e street art à mistura. Os trajectos duram aproximadamente duas horas e meia e passam por Alfama, Graça ou Bairro Alto, conforme o dia e a disposição do grupo. São uma boa oportunidade também para conhecer estrangeiros e treinar o inglês. No fim, e se gostou do passeio, é suposto deixar uma gorjeta para o guia.

www.wildwalkerstours.com

 

4. Pedale como se não houvesse amanhã

Se quer andar de bicicleta sem pagar nada, por enquanto vai ter de ir até Cascais. A partir daí, pode pedalar para onde quiser, desde que no fim do dia devolva a bicicleta. As Bicas podem ser levantadas em vários pontos (junto à estação da CP, perto da Casa das Histórias Paula Rego ou na Guia) e basta apresentar um documento de identificação. As bicicletas têm cestos para poder também levar lanche para um piquenique no Guincho, e assim não gastar mesmo nada.

Mais info: www.cm-cascais.pt

 

5. Jogue xadrez com os cromos

A Padaria do Povo é um dos sítios mais na moda em Campo de Ourique, mas é mais conhecida pelos jantares de grupo e pela esplanada do que pelas actividades que vão acontecendo ao longo da semana – e até bailes de reformados lá se fazem. As terças de xadrez, gratuitas e a partir das 21.30, são recomendadas pela Associação de Xadrez de Lisboa e costumam reunir cromos e amadores. Se não tiver cabeça para isso, também há sueca e dominó.

Padaria do Povo, Rua Luís Derouet, 20, Campo de Ourique. Terças, a partir das 21.30.

 

6. Ande na corda bamba

Esqueça o ginásio ou as aulas de surf. Não precisa de gastar dinheiro para ficar em forma e nem pense em fazer aulas de abdominais através de uma app de telemóvel. O slackline começou a ganhar seguidores na cidade e agora parece que não são apenas alunos do Chapitô a gostar da modalidade. O desporto consiste em caminhar num elástico preso em dois pontos fixos (por exemplo, duas árvores) e o mais provável é cair à primeira tentativa. Não desanime, a altura da queda é baixa para principiantes, mas com a prática vai conseguir equilibrar-se entre duas falésias. No Facebook já existe o grupo Slackline Lisboa e os membros costumam combinar encontros ao fim-de-semana no Jardim da Estrela ou em Belém para caminhar entre as árvores. É grátis e eles montam o elástico por si. Só tem de se preocupar com o equilíbrio.

 

7. Jogue críquete no Martim Moniz

Ao fim da tarde, no Martim Moniz, o Largo vai-se começando a transformar num campo de críquete. Imigrantes da Índia, do Bangladesh e do Paquistão juntam-se em frente ao Hotel Mundial para jogar – e cuidado para não lhe acertarem com uma bola, que ainda assim é de ténis e não tão pesada como as habituais. Se estiver interessado, pode juntar-se, mas avisamos desde já que pode ser complicado perceber as regras. Entre os praticantes habituais do críquete no Largo está um antigo jogador da selecção do Bangladesh, que chegou a jogar com Shakib Al Hasan, uma espécie de Cristiano Ronaldo do críquete.

 

8. Corra atrás destes grupos

Nike Run Club: Treinos de corrida semanais, para vários níveis e com coachers, às terças, às 20.00, na Nike Store do Vasco da Gama e às quintas, às 20.00, na loja do Chiado.

Hora do Esquilo: Para quem gosta realmente de acordar cedo para correr, o treino acontece todos os dias da semana, das 06.00 às 07.00, com o grupo do costume. O ponto de encontro é o parque de estacionamento da Estrada do Penedo, em Monsanto.

Correr Lisboa: Há treinos de segunda a quinta, distribuídos pela Pista de Atletismo Professor Moniz Pereira, pela Cidade Universitária ou pelo Parque das Nações (este último com uma corrida às quintas que inclui caminhada e só para mulheres).

 

9. Siga a massa crítica

Se já tem bicicleta mas não gosta de pedalar sozinho, siga a Massa Crítica. O grupo de ciclistas costuma encontrar-se todas as últimas sextas de cada mês desde 2003 para passeios nocturnos. O ponto de encontro é no Marquês de Pombal, junto ao Parque Eduardo VII, a partir das 18.00, e a saída está prevista para as 19.00. O passeio costuma demorar duas horas.

www.massacriticapt.net

 

10. Peça um skate emprestado e aprenda uns truques

Inaugurado no fim de 2013, o skatepark do Vale de Chelas é um dos melhores sítios para ver craques deslizar em piscinas vazias e fazer manobras em corrimãos – uma alternativa à concorrida Praça da Figueira. Uma tarde que passa a correr e, se estiver enturmado, talvez até lhe possam ensinar alguns truques. O parque está sempre aberto e o único problema é mesmo a falta de iluminação à noite.

Skatepark do Vale de Chelas. Paragem de metro mais próxima: Bela Vista.

 

11. Experimente uma aula de yoga

Ser diletante tem várias vantagens: por exemplo, a de experimentar aulas grátis de várias modalidades, sem no final de contas se decidir por nenhuma – nem pagar a mensalidade de nenhuma. Pode começar com uma coisa mais espiritual e tentar uma aula de yoga no Yoga no Bairro, num pátio em Campo de Ourique, onde não lhe vão cobrar nada pela primeira visita. O ideal, e se quer ser um pelintra à séria, é continuar a fazer primeiras aulas de tudo o que lhe passar pela cabeça. Mas pode ser que o yoga o convença.

Yoga no Bairro, Rua Coelho da Rocha, 69, Pavilhão 9. Aulas de grupo em vários horários. www.yoganobairro.com

 

12. Dance forró no Melhor Bolo de Chocolate do Mundo

O Quiosque do Melhor Bolo de Chocolate do Mundo, na Avenida da Liberdade, já é quase mais conhecido pelos bailes que costuma organizar na rua do que propriamente pelas fatias de bolo de chocolate. Os mais populares são os de kizomba, de forró e de lindy-hop e acontecem geralmente a meio da semana. Um verdadeiro forrobodó para quebrar a rotina. Até lá, é ir comendo fatias de bolo e poupar as pernas.

 

13. Jogue ténis no bate-bolas do Jamor

Uma coisa é certa: a parede vai sair sempre a ganhar, por isso este desporto não é aconselhável a quem tem mau perder. Ainda assim, e em vez de bater com a cabeça nas paredes num dia sem nada para fazer, bata com uma bola de ténis na parede bate-bolas do Jamor.

 

14. Dedique-se ao pingue-pongue no Dogtails

Não precisa de raquetes nem bola. Basta aparecer no Dogtails, no Mercado de Fusão do Martim Moniz, e apoderar-se da mesa de pingue-pongue. Além de cachorros, eles têm o material para bater umas bolas com alguém enquanto espera pelo seu pedido – ou pode ser mesmo pelintra e nem pedir comida.

 

IN: www.timeout.pt


publicado por gruponet às 13:30
link do post | comentar | favorito
| | partilhar

.passa a palavra

Tens conhecimento de algum evento desportivo que queiras partilhar? Envia um email para: gruponet @ sapo.pt

.participar

. participe neste blog

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.Setembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
12
14
16

18
20
22
23

24
25
26
27
28
29
30


.posts recentes

. A Rampa da Arrábida está ...

. Almada em Movimento - Fit...

. Mexa-se em Palmela | próx...

.arquivos

.mais sobre mim

 

subscrever feeds

 

. receba Posts por email:

distribuído por FeedBurner

.links

RSS Feed Widget
Tempo Lisboa